1. This product was added to our catalog on Tuesday 13 September, 2005.

    Bellis Double

    Our Price:  2.45EUR

    Paquerette - Bellis - Margaridas Dobradas - Margarita
    Bellis perennis

    Alfazema ou Lavanda
    Margarida

    Nome científico: Bellis perennis L.

    Nome comum: Margarida

    Nomes populares: Margarida dos Prados, Margaridas, Bonina, Margarita, Margarida-Vulgar, Margarida-Menor, Margarida-Comum.

    Família: Asteraceae

    Origem: Europa

    Habitat: Prados, jardins, caminhos.

    História: A Margarida é uma espécie muito expandida pela Europa e Ásia, onde para além de ser utilizada como planta decorativa é também utilizada para fins medicinais. Ao longo dos anos utilizou-se para curar doenças respiratórias. O botânico Gerarde, afirmou em 1597, que as margaridas diminuíam as dores relacionadas com as articulações e a gota. O nome Bellis perennis, provém do latim bellis que significa bonito.

    Descrição: Planta herbácea, perene que se cultiva como bienal. Os caules são redondos, de cor verde claro. As suas folhas são de cor verde e saem em forma de roseta, são ovadas e de grande tamanho. Podem atingir alturas até 20 cm e as flores atingem até 6 cm de diâmetro. As flores de Margaridas ou Boninas são hermafroditas , têm a forma de pequenos tubos amarelos, dispostos em capítulo, com lígulas à sua volta (pétalas) brancas. As suas sementes são ovadas (cipsela) e pubescentes (com penugem). As flores são brancas e simples e abrem-se por cima dos pendúnculos, de 10 a 15 cm, que partem de uma roseta basal.

    Sementeira: Em local definitivo entre Maio e Junho ou em estufa ou estufim entre Março e Maio. Devem ser semeadas com algum espaçamento para evitar a sobreposição das folhas umas em cima das outras e desta forma promover o arejamento para evitar podridões.

    Temperatura: As Margaridas dos Prados preferem temperaturas baixas, dos 5Cº aos 7 Cº, mas estão bem adaptadas ao clima temperado ou mediterrâneo. Não resistem a geadas. 

    Transplantação: Primavera/Verão

    Luz: Sol directo, meia sombra.

    Solos: Planta que se aadapta bem a qualquer tipo de solo. Prefere um solo rico em húmus, fresco, bem drenado.

    Rega: Regular, evitar solos encharcados e evitar molhar as folhas.

    Adubação: Na fase de início do crescimento e na floração

    Floração: Desde o fim do inverno até ao fim do verão

    Pragas e doenças: Nematodos, tripes, mosca branca, ferugem, Botrytis cinerea ( podridão), principalmente nas folhas.

    Multiplicação: Semente ou divisão dos estolhos.

    Colheita: Colher as flores de Margarida dos Prados quando necessário, para decoração ou arranjos. Para fins medicinais devem ser colhidas na altura da floração. A colheita das flores velhas e secas prolonga a floração.

    Utilização: Vasos, canteiros, floreiras.

     Aplicações medicinais: Abscessos, asma, bronquite crónica, catarros das vias respiratórias, dores nas articulações e de gota, edemas, esgotamento nervoso, febre, feridas secundárias, furúnculos, gota, gripe, inflamação (boca, faringe, garganta), olhos doloridos ou lacrimejantes, reduzir as perturbações ligadas a desarranjos intestinais, erupções cutâneas, resfriados, reumatismo, tosse.

    Partes utilizadas: Folhas, caules e flores.

    Propriedades: Anti-inflamatória, , adstringente, fortificante, calmante, anti-tussíco, depurativa, diurética, emoliente, expectorante, hemostática, sudorífico, cicatrizante.

    Componentes : Ácidos orgânicos, antocianosídeos, beta-sitosterol, óleos essenciais, pigmentos, princípios amargos, resina, saponosídeos (bellisaponosídeo, virgaureasaponosídeo), saponinas, substâncias mucilaginosas, taninos.

    Contra-indicações/cuidados: Contra-indicado para pessoas com gastrite e úlcera gastroduodenal.

    Receitas medicinais:

    - compressas das folhas e/ou capítulos florais amassados, aplicadas no lugar da dor;
    - infusão de 15g de capítulos florais secos e/ou folhas em 500 ml de água, por vinte minutos ou macerado a frio. Tomar de 2 a 4 chávenas por dia;
    - infusão de 20 g de flores em 1 litro de água fervente. Tomar 1 a 2 chávenas ao dia;
    - infusão para uso externo de 50 gramas de flores e folhas em 1 litro de água a ferver. Fazer gargarejos, lavagens, compressas, banhos anti-inflamatórios para tumores, úlceras e feridas.

    Autor: André Miguel Pereira Vasconcelos (Engenheiro Agrónomo)

    Outras Sementes de Plantas ou Flores Aromáticas


    p align="center">

    Reviews
Categories