1. This product was added to our catalog on Tuesday 13 September, 2005.

    Sage

    Our Price:  2.45EUR

    Salva
    Salva

    Nome científico : Salvia officinalis

    Nome comum: Salva

    Nomes populares: Salvia, Salva, Salva Comum.

    Família: Lamiaceae

    Origem: Região oriental da bacia do mar Mediterrâneo.

    Habitat: Hortas e jardins da Europa, América, Ásia.

    História: A salva é uma das plantas mais utilizadas desde há muitos séculos pelas suas propriedades medicinais. Os romanos consideravam-na uma planta sagrada e na Idade Média pensava-se que a salva podia alongar a vida do ser humano. Os chineses trocavam salvia por chá nos mercados holandeses no sec. XVII. O nome desta planta deriva do latim “salvere” que significa curar ou salvar.

    Descrição: A salva é uma planta vivaz, subarbustiva, que pode atingir cerca de 60 cm de altura, bastante ramificada, com um caule lenhoso. As folhas da Salvia, de coloração verde acinzentada, são de inserção oposta, de superfície rugosa, possuem um pecíolo mais ou menos longo que as une ao caule. As flores encontram-se agrupadas em verticilastros dispostos de espigas terminais. Possui corola de cor azul, violeta, branca ou rosa. A floração da Salva ocorre no final da Primavera ou Verão. São melíferas e muito procuradas pelas abelhas. Toda a planta exala um agradável odor característico. Pela sua aparência vistosa e decorativa, a sálvia também é utilizada como ornamental.

    Sementeira: Em viveiro entre Janeiro e Fevereiro. Em local definitivo entre Abril e Junho.

    Transplantação: Abril-Junho

    Luz: sol, pelo menos durante uma parte do dia, podendo ser conduzida à meia-sombra. Em locais muito sombreados a Salva tende ao estiolamento.

    Solos: A Salva prefere solos bem drenados, secos, leves. Adapta-se a vários tipos de solo com exepção do argiloso. Tolera pH de 5,5 a 9.

    Temperatura: Temperado-quente, resistente ao frio.

    Rega: Regas controladas pois a Salvia não necessita de muita água..

    Adubação: 4:8:8. Após o primeiro corte ou colheita, deve-se fazer uma adubação azotada.

    Poda: Junho e Setembro ( para colheita) ou após floração.

    Multiplicação: A Salva propaga-se por semente e estacas.

    Colheita: Colhem-se as folhas da salva logo no início da floração da planta, devendo-se fazê-lo nos horários mais frescos do dia.

    Partes utilizadas: Folhas, flores e sementes.

    Conservação: As folhas de salva devem ser secas à sombra em local ventilado, e podem ser armazenadas em potes de vidro bem fechados.

    Aplicações medicinais:

    Propriedades: Anti-sudorífica, anti-inflamatória, desinfectante, emenagoga e anti-depressiva, adstringente, anti-espasmódico.

    Indicações : Inflamação de garganta, sinusite, tónico e estimulante da digestão, contra inapetência, edema, infecções da boca, aftas, tosses, bronquites. Ajuda a fazer a digestão e é anti-séptica, fungicida e ajuda a combater a diarréia. O chá é bom para as gengivas inflamadas, além de aliviar diabetes e sintomas de menopausa. Diminui suor excessivo e é restauradora de energia, tendo poder tonificante sobre o fígado. Usada também para depressão, tremores e vertigens.

    Receitas medicinais :

    Um bom macerado anti-depressivo pode ser feito com 7 colheres-de-sopa de folhas de salva numa garrafa de vinho branco de qualidade. Após uma semana de maceração, deve-se coar e voltar a colocar na garrafa, fechando-a com uma rolha. Toma-se um cálice, três vezes por dia.

    Infusão : 5 gs de folhas em 100 ml de água a ferver por 10 minutos.

    Para picadas de insectos esfregar as folhas frescas no local atingido. Friccionada nos dentes, clareia-os.

    Chá de Salva: Misturar 5 gramas da planta por cada litro de água.

    Outros usos:

    Uso caseiro : Colocar as folhas secas de salva entre as roupas, para afastar os insectos. Faz parte das ervas insecticidas (em infusão).

    Uso culinário : A Salva usa-se para rechear aves, misturar com cebola, cozinhar com carnes gordurosas (porco, pato e salsichas). Dá bom vinagre aromatizado e manteiga de ervas. Faz deliciosos pães. Substitui o louro na aromatização de carnes e cozidos, principalmente os gordurosos, podendo também ser usada para temperar patês de queijo e peixes. A manteiga aromatizada com salva dá um realce especial aos assados.

    Aromaterapia : Na aromaterapia, o óleo essencial de salva é usado como antioxidante, estimulante, tónico, desinfectante, adstringente, é indicado para cabeça e cérebro activando os sentidos, a memória e fortalecendo os nervos.

    Cosmética: A Infusão de Salva é um bom adstringente para pele oleosa e escurecedor de cabelos. A infusão também é boa para combater a caspa e inflamações do couro cabeludo.

    Dentrifício caseiro para remover tártaro e clarear os dentes: Sal marinho e salva.

    Efeitos colaterais : Não usar a erva em casos de insuficiência renal, durante a menstruação ou amamentação. Pode causar súbita elevação da pressão arterial. Não consumir em grandes quantidades ou por longos períodos de tempo consecutivos. Não deve ser tomado por mulheres grávidas e crianças. Diminui a lactação.

    Autor: André M. P. Vasconcelos (Engenheiro Agrónomo)

    Outras Sementes de Plantas ou Flores Aromáticas



    Clique para Imprimir


    Reviews