1. This product was added to our catalog on Tuesday 13 September, 2005.

    Violet

    Our Price:  2.45EUR

    Violette - Viola - Violetas - Violeta
    Viola odorata

    Violeta

    Nome científico: Viola odorata.

    Nome comum: Viola.

    Nomes populares: Viola, Violeta.

    Habitat: Prados, campos, terrenos baldios, beiras de estradas e caminhos, locais sombrios e húmidos.

    História: Os antigos gregos consideravam a violeta um símbolo de fertilidade e amor, utilizando-a em poções de amor. Muito conhecida desde a antiguidade, tendo sido muito utilizada para fins medicinais. Começou a ser utilizada desde 1829 na Omeopatia, pelo médico alemão M. Staptf no tratamento de sinusites e reumatismo.

    Família: Violaceae.

    Origem: Europa.

    Descrição: Planta herbácea, perene, com caules curtos, ramificados, de cor verde escuro, de porte erecto a postrado, em tufos, podendo atingir uma altura de 10-30 cm. A Viola ou Violeta é uma planta rizomatosa, que se expande rápidamente por estolhos, proporcionando uma boa cobertura para o solo e locais sombrios, crescendo por vezes como uma erva daninha. As folhas Viola ou Violeta são em forma de coração, ovais a arredondadas, com pecíolo grande, lisas, por vezes ligeiramente dentadas nas margens, de cor verde-escuro, com nervuras marcantes, crescendo em forma de roseta na base da planta. Têm um tamanho de cerca de 2,5-5 cm. As flores de Viola ou Violeta são perfumadas, singelas, com 5 pétalas, com cores desde o branco, violeta, azul, lilás, com cerca de 2-4 cm de tamanho.

    Sementeira: Em local definitivo no ínicio da Primavera ou no Outono. Em estufa ou estufim na Primavera/Verão e início do Outono.

    Crescimento: Rápido.

    Transplantação: Quando opurtuno. Espaçamento de cerca de 20-30 cm.

    Luz: Sol, meia-sombra, sombra.

    Solos: Férteis, húmidos, ricos em húmus e com boa drenagem.

    Resistência: Rústica. Resistente a alguma secura e calor. Resistente ao frio.

    Rega: Regular, abundante quando em tempo seco e quente.

    Adubação: Apenas se necessário. Ex. 5-10-5.

    Floração: Fim do Inverno, até ao Verão, dependendo das zonas.

    Poda: Cortar as flores velhas para prolongar a floração.

    Pragas e doenças: Pulgões, Oídio.

    Multiplicação: Semente e por divisão da planta na Primavera ou Outono.

    Utilização: Cobertura ou revestimento do solo, canteiros, bordaduras, jardins selvagens, rochosos, sombrios, vasos.

    Outros usos
    As flores e as folhas da violeta são utilizadas no fabrico de xaropes para o combate de tosse, dores de garganta, sinusite, rouquidão. O chá da planta inteira é utilizado para distúrbios intestinais e para as dores de cabeça, pois contêm ácido salicílico, sendo quase como uma aspirina natural. Esta planta tem propriedades expectorantes, anti-pasmódicas, sudoríferas, diuréticas e anti-inflamatórias. As flores podem também ser utilizadas em saladas, doces e geleias, ou usadas no fabrico de colónias, perfumes, talcos, desodorizantes, sabonetes, etc. As suas raízes contêm uma substância alcalóide, a violina, que quando ingerida em grande quantidade tem propriedades laxativas e pode provocar vómitos. As suas folhas, frescas e levemente esmagadas podem ser utilizadas em banhos de imersão, amaciando a pele e imanando um aroma agrádavel.
    Componentes principais: óleo essencial, violamina, alcalóides (odoratina), emetina, irona, glucosídeos, eugenol, kaempferol, quercetina.

    Autor: André M. P. Vasconcelos (Engenheiro Agrónomo)

    Outras Sementes de Plantas ou Flores Aromáticas



    Reviews