1. This product was added to our catalog on Tuesday 13 September, 2005.

    Water Cress-INDISPONÍVEL

    Our Price:  2.45EUR

    Agrião comum

    Nome Científico: Nasturtium officinale R. Br. (sinonimo Rorippa nasturtium-aquaticum).

    Nome Comum: Agrião

    Nomes Populares: Agrião de rio, Agrião comum.

    Família: Brassicaceae.

    Origem: Europa e Ásia.

    Habitat: Zonas húmidas, margens de rios, cursos de água e ribeiros, onde a água seja corrente.

    História: Os faraós do Egipto admnistravam sumo de agrião aos escravos para incrementar a sua produtividade, esta planta era sinónimo de força. Para os romanos o Agrião de Rio um remédio essencial e para os persas um alimento imporante para as crianças. O termo Nasturium deriva do latim nasus (nariz) e tortus (torcido) e tem a sua origem no facto do aroma picante desta planta irritar o nariz. O desenvolvimento como cultura no Norte da Europa foi tardio tendo sido cultivado pela primeira vez na Alemanha no séc. XVI e no Reino Unido no início do séc. XIX.

    Descrição: O Agrião de Rio ou Agrião Comum é uma planta vivaz, aquática, com folhas de cor verde esuro, com forma oval elíptica, brilhantes, compostas e de superfície lisa e estão divididas entre 3 a 12 folíolos arredondados. Os caules medem entre 5 a 10 cm e formam grandes massas vegetais de caules angulosos. As flores de Agrião de Rio são pequenas, de corola branca e estão agrupadas em espigas. Floresce na Primavera e Verão.

    Sementeira: Directa em local definitivo, em canteiros ou sementeira em viveiro e transplantação com raíz protegida. Efectua-se em canteiros alagados com água corrente a uma altura de cerca de 5 cm acima do solo. Em sementeira directa a cama da sementeira deve etar bem humedecida mas não alagada, antes da instalação da cultura. Realiza-se de Fevereiro a Maio.

    Luz: Sombra parcial

    Solos: Permanentemente húmidos.

    Temperatura: Temperados, sensível a baixas temperaturas mas também é sensível a altas temperaturas. A temperatura óptima da água é de 10 Cº.

    Adubação: De fundo, com matéria orgânica.

    Pragas e Doenças: Afídeos, ácaros, lesmas, míldio das crucíferas, infestantes e algas.

    Multiplicação: Semente e estacas.

    Colheita: 6 semanas após a plantação, quando as folhas atingem o tamanho definitivo e com a coloração verde e brilhante característica. Devem ser cortadas com uma tesoura, evitando cortar os caules muito por baixo.

    Partes utilizadas: Folhas e flores.

    Conservação: No frigorifíco. Consumir logo após a colheita.

    Segurança alimentar: Como é uma planta produzida em água é frequentemente consumida em cru, existem riscos acrescidos de segurança alimentar. A qualidade da água deve ser monitorizada para minorar os riscos biológicos.

    Aplicações medicinais
    Propriedades: adstringente, anti-escorbútica, anti-inflamatória, antitérmica, anti-tussígena, cicatrizante, depurativa, descongestionante, desintoxicante, despigmentadora, digestiva, diurética, excitante, expectorante, fortalecedora dos cabelos, restauradora, tónica.
    Componentes: ácido ascórbico, ácido pantoténico, alanina, arginina, beta-caroteno, cobre, enxofre, ferro, fosfato, glicina, gluconasturtina, histidina, iodo, óleo essencial sulfo-azotado amargo e volátil (isosulfocyanato de allyla), potássio, taninos. Assim como a maioria das verduras de folha, o agrião é um vegetal de baixo teor calórico. Fornece 22 calorias em cada 100 gramas. Ele é considerado uma das principais fontes de vitamina A, essencial para a boa visão e para manter a saúde da pele. Apresenta ainda vitaminas do Complexo B(responsáveis pelo crescimento), além de grande quantidade de vitamina C.

    Indicações: Tem alto potencial de sais minerais como Iodo, Enxofre, Fósforo e Ferro. Eles são importantes para o funcionamento da glândula tiróide, ajudam na formação de ossos e dentes, evitam a fadiga mental e estão ligados à produção de glóbulos vermelhos do sangue. Indicado para abscessos, ácido úrico, amenorréia, anemia, anorexia, falta de apetite, debilidade geral, dor de dentes, diabetes, digestão, diurético, estimulante, febre, feridas, fígado, dermatose, descongestionante, frieiras, transpiração.
    O suco de agrião, fervido com leite, em partes iguais, dá excelentes resultados contra enfermidade do peito, catarro e reumatismo. E mostra-se eficiente contra a bronquite quando misturado ao mel. Pelas suas propriedades tónicas e estimulantes, o agrião tem o poder de abrir o apetite. Assim, deve ser, sempre, servido como primeiro prato, em forma de salada, principalmente nos dias quentes, quando é muito refrescante.

    Receitas medicinais
    • Compressas: manchas, sardas, acnes, descongestionar a pele;
    • Cremes, loções e compressas: frieiras nos pés, feridas, abscessos;
    • Ferver, por três minutos, em fogo moderado, filtrar após dez minutos. Adicionar sumo de limão, laranja ou tomate fresco. Beber em duas vezes, durante o dia: bronquite, depurativo, diurético;
    • Infusão, extratos ou tintura: bronquite, febre, escrofulose, raquitismo, hidropisia, icterícia, cistite, colites, problemas do fígado, anúria, tosses catarrais, tuberculose pulmonar.
    • Loção de 50g de suco de agrião e 10g de essência de amêndoas amargas: pele avermelhada devido ao sol;
    . Mastigar algumas folhas de agrião por dia, para ativar a salivação e reforçar as gengivas.
    • Sumo com mel: bronquite, tosse, catarros, tuberculose pulmonar, eliminar os efeitos do fumo nos pulmões.
    • Sumo puro, meio copo todos os dias: bronquite crônica.
    • Sumo: esmagar em um pilão uma grande porção de folhas e talo frescos, colocar em um pano limp, torcer e extrair todo o uso.

    Outros usos
    Uso culinário: Apropriado para saladas, molhos ou para peixe.

    Receitas
    Sopa de agrião
    INGREDIENTES
    4 batatas
    1 copo de folhas de agrião bem lavadas
    1 litro de caldo de carne
    1 colher (sopa) de margarina
    MODO DE FAZER
    Descasque as batatas e cozinhe-as no caldo de carne. Quando estiverem macias, amasse-as bem e torne a juntá-las ao caldo. Deixe ferver. Coloque o agrião no fundo da terrina. Tire o caldo do fogo, junte a margarina e despeje fervente sobre o agrião. Sirva imediatamente.

    Bolinhos de talo de agrião
    INGREDIENTES
    Talos de agrião cortados em rodelinhas(o equivalente a 1/2 xícara)
    2 ovos
    5 colheres (sopa) de farinha de trigo
    meia cebola média
    sal a gosto
    MODO DE FAZER
    Misture todos os ingredientes numa tigela e frite em óleo quente, em pequenas porções de cada vez.
    Cosmética: O sumo dos agriões aplica-se sobre o cabelo actuando contra a queda e dermatite seborreica.
    Efeitos colaterais: Pode causar irritações no estômago e nas vias urinárias de gestantes e em grandes quantidades pode provocar aborto.

    Autor: André M. P. Vasconcelos (Engenheiro Agrónomo)

    Outras Sementes de Plantas Hortícolas e de Outros Frutos e Vegetais



    Reviews